HIPERTENSOS PODEM TER DIFICULDADES EM TIRAR OU RENOVAR A CARTEIRA DE MOTORISTA

Publicado em: 12 de set, 2019

TEMPO DE LEITURA: Aprox. 3 min.

REDAÇÃO: MARISOL DE FREITAS VIEIRA    REVISÃO: DR. CLÁUDIO J. TREZUB
Imagem de topo do blog, em azul e cinza, com o título hipertensão arterial e carteira de habilitação na parte azul e  a logo da CW3 na parte cinza.

O Detran-PR tem dificultado a liberação e a renovação da CNH para pessoas hipertensas. Quem convive com o problema, precisa estar com os níveis de pressão controlados para conseguir o documento, ou apresentar um laudo médico informando que está com a saúde em dia. Ao solicitar a primeira habilitação ou a renovação da mesma, os condutores precisam realizar alguns exames, entre eles a aferição da pressão.

A regra foi criada com o objetivo de tornar o trânsito ainda mais seguro (tanto para o motorista, quanto para todos a sua volta), e ainda acabar sendo uma maneira de identificar casos sem diagnóstico ou tratamento. Isso porque há uma grande parcela da população que só procura os centros de saúde quando apresenta algum sintoma grave. E como a hipertensão é uma doença silenciosa, muitos casos são negligenciados.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde em 2018, um a cada quatro adultos sofre de “pressão alta”. Essa estatística, que já é alarmante, não considera aqueles que tem a condição e ainda não sabem, que podem representar mais de 50% dos afetados, segundo os cardiologistas;

Pessoa sentada na cama aferindo sua própria pressão.

Além disso, estatísticas mostram a ocorrência de mais de 300 óbitos por ano relacionadas às doenças cardiovasculares, como infarto ou AVC, que têm como principal fator de risco a hipertensão arterial.

Portanto, permitir que uma pessoa hipertensa conduza um veículo pode colocá-la em risco de acidentes por conta de complicações com a doença, além da possibilidade de envolver outras pessoas em situações graves e potencialmente fatais.

A pressão arterial é considerada alta quando está acima de 14 por 9 (≥ 140 e/ou 90mmhg). Entretanto, para efeitos do Detran, a pressão precisa ser maior que 16 por 10. Isso porque o estresse no momento do exame é levado em consideração.

A aferição feita pelo Detran é regulamentada pela Resolução n.º 425/2012 do Contran, que estabeleceu parâmetros a serem seguidos pelos peritos médicos.

Caso a pressão arterial do motorista no momento do exame esteja maior que 16 por 10, o médico do tráfego pode reduzir o prazo de validade da carteira de cinco anos para três ou quatro anos, ou então pedir o parecer de um cardiologista antes de conceder o direto ao documento.

Com o atestado de saúde em mãos, o motorista pode retornar ao Detran, passar por nova avaliação, e então ter seu pedido de habilitação acatado.


LINKS RELACIONADOS


Gostaria de entrar em contato conosco? Basta deixar seu comentário abaixo ou nos enviar um e-mail
Algum link não funciona? Nos avise!

Background photo created by freepik – www.freepik.com

Veja também...